Eficiência energética da produção de milho em dois locais na costa central, Peru

Autores/as

  • Dionicio Luis-Olivas Universidad Nacional José Faustino Sánchez. Huacho. http://orcid.org/0000-0002-5367-5285
  • Luz Tapia Universidad Nacional José Faustino Sánchez. Huacho.
  • Luisa Meneses Universidad Nacional José Faustino Sánchez. Huacho.
  • Eroncio Mendoza Universidad Nacional José Faustino Sánchez. Huacho.
  • Johnny Cipriano Universidad Nacional José Faustino Sánchez. Huacho.
  • Bruno Fardim Universidade Federal do Espírito Santo. Vitoria, Espíritu Santo. http://orcid.org/0000-0003-3595-4691
  • Wellington Abeldt Universidade Federal do Espírito Santo. Vitoria, Espíritu Santo.
  • Ariany das Graças Universidade Federal do Espírito Santo. Vitoria, Espíritu Santo.
  • Elaine Gomes Universidade Federal do Espírito Santo. Vitoria, Espíritu Santo. http://orcid.org/0000-0003-4214-2042

DOI:

https://doi.org/10.17268/agroind.sci.2020.02.05

Resumen

Os estudos que apontam para o fluxo de energia dos agroecossistemas são de grande importância para a produção agrícola global, a fim de alcançar uma agricultura mais sustentável. O objetivo desta pesquisa foi analisar a eficiência energética da produção de milho em dois locais da costa central, no Peru. O experimento foi realizado nos locais de Quilmaná e Herbay Alto, no departamento de Lima. Em cada local foi adotado o desenho em blocos completos ao acaso, com três tratamentos e quatro réplicas. Os tratamentos foram representados pelos híbridos DK 7088 (híbrido simples), XB 8010 (híbrido duplo) e ATL 310 (híbrido triplo). Foram avaliadas a entrada e saída de energia, a energia líquida e a eficiência energética. Com os dados dos dois experimentos foi realizada a análise combinada, após a avaliação da homogeneidade das variâncias. As médias foram comparadas com o teste de Scott-Knott a 5% de probabilidade. De acordo com os resultados, não houve interação entre híbridos e local. Para o conjunto de variáveis avaliadas, destacou-se o híbrido DK 7088, e o local de Quilmaná, mostrando que a produção de milho é altamente dependente dos adubos minerais e que a eficiência energética é influenciada pela carga genética do material vegetal e pelas condições ambientais em que é desenvolvido.

Citas

Anater, M.J.N.; Nascimento, J.R.; Turdera, E.M.V.; Sanquetta, C.R.; Corte, A.P.D. 2016. Balanço energético e emissões de gases de efeito estufa do processo de produção de etanol: um estudo de caso. Enciclopédia Biosfera 13: 1634-1642.

Araújo, A.V.; Junior, D.S.B.; Vaz Ferreira, I.C.P.; Costa, C.A.; Porto, B.B.A. 2013. Desempenho agronômico de variedades crioulas e híbridos de milho cultivados em diferentes sistemas de manejo. Revista Ciência Agronômica 44: 885-892.

Bonel, B.; Costanzo, M.; Lombardo, F.; Montico, S. 2009. Análisis de parámetros energéticos en la producción del cultivo de maiz (Zea mays, L.) para biocombustible. Revista FAVE - Ciencias Agrarias 8: 37-46.

Bonel, B.; Montico, S.; Di Leo, N.; Denoia, J. y Vilche, M. 2005. Análisis energético de las unidades de tierra en una cuenca rural. Revista de la FAVE - Ciencias Agrarias 4: 37-47.

Campos, A.T.; Klosowsk, E.S.; Souza, C.V.; Zanini, A.; Prestes, T.M.V. 2009. Análise energética da produção de soja em sistema plantio direto. Global Science and Technology 2: 38-44.

Christo, B.; Olivas, D.; Erlacher, W.; Barros, V.; Uzátegui, I. 2017. Balanço energético e diagnóstico de qualidade do algodoeiro cultivado com sementes nativas em Lima, Peru. Scientia Agropecuaria 8: 431-436.

Cunha, J.P.B.; Campos, A.T.; Martins, F.G.L.; Paula, V.R.; Volpato, C.C.E.S.; Silva, F.C. 2015. Demanda energética de diferentes manejos de solo no cultivo de milho. Bioscience Journal 31: 808-817.

Edwiges, M.; Dallacort, R.; Marco, K.; Santi, A.; Fenner, W. 2017. Produtividade e características agronômicas do milho em épocas de semeadura para segunda safra em Tangará da Serra, MT. Enciclopédia biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia 14: 560-572.

Emygdio, B.M.; Ignaczak, J.C.; Filho, A.C. 2007. Potencial de rendimento de grãos de híbridos comerciais simples, triplos e duplos de milho. Revista Brasileira de Milho e Sorgo 6: 95-103.

Ferreira, F.F.: Neumann, P.S.; Hoffmann, R. 2014. Análise da matriz energética e econômica das culturas de arroz, soja e trigo em sistemas de produção tecnificados no Rio do Grande do Sul. Ciência Rural 44: 380-385.

Freitas, C.A.S. 2013. Análise energética do girassol irrigado com esgoto doméstico tratado para produção de biodiesel. Revista Caatinga 26: 62-72.

Furtado, D. 2011. A Computer statistical Analysis System. Ciência e Agrotecnologia 35: 1039-1042.

Gliessman, S.R. 2002. Agroecología: procesos ecológicos en agricultura sostenible. CATIE, Turrialba, Costa Rica. 359 pp.

Hernández, F.G.; Larramendi, L.A.R.; Ramos, M.A.H.; Flores, M.A.F.; Ruiz, R.P.; Muro, L.R. 2015. Eficiencia energética y económica del cultivo de maíz en la zona de amortiguamiento de la Reserva de la Biosfera “La Sepultura”, Chiapas, México. Revista Mexicana de Ciencias Agrícolas 6: 1929-1941.

Huamanchumo, C. 2013. La cadena de valor de maíz en el Perú: Diagnóstico del estado actual, tendencias y perspectivas. IICA, Lima, Perú. 58 pp.

Liebman, M. 2002. Sistemas de Policultivos. In: Altieri, M. (Ed.), Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. Editorial Agropecuária, Guaíba, Brasil. Pp. 347-368.

Martins, F.G.L.; Barbosa, J.A.; Carvalho, R.C.S.; Veloso, A.V.; Marin, D.B. 2015. Analise energética da produção de milho para silagem cultivado em diferentes espaçamentos. Energia na Agricultura 30: 418-428.

Melo, D.; Pereira, J. O.; Souza, E. G.; Gabriel, A.; Nóbrega, L. H. P.; Pinheiro, R. 2007. Balanço energético do sistema de produção de soja e milho em uma propriedade agrícola do Oeste do Paraná. Acta Scientarum Agronomy 29: 173-178.

Ministerio de Agricultura y Riego (MINAGRI). 2017. Series históricas de producción agrícola. Compendio estadístico. Disponible en: http://frenteweb.minagri.gob.pe/sisca/?mod=consulta_cult

Pinto, A.P.; Lançanova, J.A.C.; Lugão, S.M.B.; Roque, A.P.; Abrahão, J.J.S.; Oliveira, J.S.; Leme, M.C.J.; Mizubuti, I.Y. 2010. Avaliação de doze cultivares de milho (Zea mays L.) para silagem. Semina: Ciências Agrárias 31: 1071-1078.

Riquetti, N.B.; Benez, S.H.; Silva, P.R.A. 2012. Demanda energética em diferentes manejos de solo e híbridos de milho. Energía na Agricultura 27: 76-85.

Romanelli, T. L.; Milan, M. 2005. Metodologia e modelagem do balanço energético em Forragens suplementares para bovinos. Scientia Agricola 62: 1-7.

Seraguzi, E.F.; Lima, A.R.; Anselmo, J.L.; Alvarez, R.C.F. 2016. Desempenho de híbridos de milho na região de Chapadão do Sul, MS. Tecnologia & Ciência Agropecuária 10: 12-14.

Silva, A.F.; Schoninger, E.L.; Caione, G.; Kuffel, C.; Carvalho, M.A.C. 2014. Produtividade de híbridos de milho em função do espaçamento e da população de plantas em sistema de plantio convencional. Revista Brasileira de Milho e Sorgo 13: 162-173.

Silva, A.G.; Francischini, R.; Martins, P.D.S. 2015. Desempenhos agronômico e econômico de cultivares de milho na safrinha. Revista Agrarian 8: 1-11.

Souza, J.; Casali, V.; Santos, R.; Cecon, P. 2008. Balanço e análise da sustentabilidade energética na produção orgânica de hortaliças. Horticultura Brasileira 26: 433-440.

Superintendencia de administración tributaria. Operatividad aduanera. 2018. Disponible em: http://www.sunat.gob.pe/operatividadaduanera/index.html.

Descargas

Publicado

2020-07-26

Cómo citar

Luis-Olivas, D., Tapia, L., Meneses, L., Mendoza, E., Cipriano, J., Fardim, B., Abeldt, W., das Graças, A., & Gomes, E. (2020). Eficiência energética da produção de milho em dois locais na costa central, Peru. Agroindustrial Science, 10(2), 153-157. https://doi.org/10.17268/agroind.sci.2020.02.05

Número

Sección

Artículos