Comparação entre métodos de perdas na colheita mecanizada de soja

Ariel Muncio Compagnon, Rouverson Pereira da Silva, Marcelo Tufaile Cassia, Denny Graat, Murilo Aparecido Voltarelli

Resumen


A cultura da soja é de grande importância no cenário agrícola brasileiro e tanto a produtividade quanto a área cultivada vêm aumentando a cada safra, exigindo cada vez mais rapidez e qualidade na colheita. Porém, perdas consideráveis são contabilizadas na colheita mecanizada, etapa fundamental no processo produtivo das grandes culturas. Procurando quantificar estas perdas utilizou-se no presente trabalho um monitor de perdas interno Intelliview, cujos resultados foram comparados com as perdas coletadas manualmente. Os dados foram obtidos na Fazenda São Luiz, localizada no município de Santa Juliana – MG, com uma colhedora axial de duplo rotor, com plataforma de corte de 9.14 m de largura. Foram avaliados 40 pontos, nos períodos noturno e diurno, sendo as variáveis analisadas: teor de água dos grãos; velocidade de deslocamento; altura de plantas; altura de inserção da primeira vagem; produtividade de grãos; perdas por deficiência na altura de corte, no sistema de trilha, sistema de limpeza e total; perdas de grãos na separação e perdas de grãos limpos. A colheita de soja no período noturno apresentou maior semelhança entre os níveis de obtidos no sensor de separação e as perdas medidas em campo, enquanto que no período diurno houve maior aproximação para o sensor de trilha. As perdas de grãos por deficiência na altura de corte contribuem em grande parte para as perdas de grãos de soja durante a colheita no período diurno, diminuindo a correlação entre as perdas avaliadas no campo e os níveis de perdas obtidos nos sensores.


Palabras clave


Glycine max L., monitores de perdas, períodos de colheita.

Texto completo:

PDF

Referencias


Câmara, F.T.; Silva, R.P.; Lopes, A.; Furlani, C.E.A.; Grotta, D.C.C.; Reis, G.N. 2007. Influência da área de amostragem na determinação de perdas totais na colheita de soja. Ciência e Agrotecnologia 31: 909-913.

Campos, M.A.O.; Silva, R.P.; Carvalho, A.F.; Mesquita, H.C.B.; Zabani, S. 2005. Perdas na colheita mecanizada de soja no Estado de Minas Gerais. Engenharia Agrícola 25: 207-213.

Carvalho Filho, A.; Cortez, J.W.; Silva R.P.; Zago, M.S. 2005. Perdas na colheita mecanizada de soja no triângulo mineiro. Revista Nucleus 3: 57-60.

Conab. Companhia Brasileira de Abastecimento. 2011. Acompanhamento da safra brasileira: grãos, sétimo levantamento, março 2011. Brasília, 40p.

Cunha, J.A.P.R.; Piva, G.; Oliveira, C.A.A. 2009. Efeito do sistema de trilha e da velocidade das colhedoras na qualidade de sementes de soja. Bioscience Journal 25: 37-42.

Cunha, J.A.P.R.; Zandbergen, H.P. 2007. Perdas na colheita mecanizada da soja na região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, Brasil. Bioscience Journal 23: 61-66.

Embrapa. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. 1999. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação dos Solos. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília: Embrapa Produção de Informação. 412p.

Embrapa. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. 2005. Tecnologias de produção de soja. Londrina: Embrapa Soja. 224p.

Ferreira, I.C.; Silva, R.P.; Lopes, A.; Furlani, C.E.A. 2007. Perdas quantitativas na colheita de soja em função da velocidade de deslocamento e regulagens no sistema de trilha. Engenharia na Agricultura 15: 141-150.

Freddi, O.S.; Carvalho, M.P.; Veronesi Júnior, V.; Carvalho, G.J. 2006. Produtividade do milho relacionada com a resistência mecânica à penetração do solo sob preparo convencional. Engenharia Agrícola 26: 113-121.

Gullacher, D.E.; Smith, L.G. Grain loss monitor performance. 1979. ASAE Paper Nº 79-1579, MI 49085.

Magalhães, S.C.; Oliveira, B.C.; Toledo, A.; Tabile, R.A.; Silva, R.P. 2009. Perdas quantitativas na colheita mecanizada de soja em diferentes condições operacionais de duas colhedoras. Bioscience Journal, 25: 43-48.

Mesquita, C.M.; Costa, N.P.; Mantovani, E.C.; Andrade, J.G.M.; França Neto, J.B.; Silva, J.G.; Fonseca, J.R.; Portugal, F.A.F.; Guimarães Sobrinho, J.B. 1998. Manual do produtor: Como evitar desperdícios nas colheitas da soja, do milho e do arroz. Londrina: Embrapa-CNPSo 19-22.

Milan, M.; Fernandes, R.A.T. 2002. Qualidade das operações de preparo do solo por controle estatístico de processo. Scientia Agricola 59: 261-266.

Minitab Inc. 2006. Minitab Statistical Software, Release 15 for Windows, State College, Pennsylvania. Minitab® is a registered trademark of Minitab Inc.

Pereira J., P.; Rezende, P.M.; Malfitano, S.C.; Lima, R.K.; Corrêa, L.V.T.; Carvalho, E.R. 2010. Efeito de doses de silício sobre a produtividade e características agronômicas da soja [Glycine max (L.). Ciência e Agrotecnologia 34: 908-913.

Pimentel-Gomes, F.; Garcia. C.H. 2002. Estatística aplicada a experimentos agronômicos e florestais: exposição com exemplos e orientações para uso de aplicativos. Piracicaba, FEALQ. 309p.

Pinheiro Neto, R.; Gamero, C.A. 1999. Efeito da colheita mecanizada nas perdas quantitativas de grãos de soja (Glycine max (L.) Merrill). Energia na Agricultura 14: 69-81.

Suguisawa, J.M.; Franco, F.N.; Silva, S.S.S.; Peche Filho, A. 2007. Qualidade de aplicação de herbicida em lavoura de trigo. Engenharia Agrícola 27: 41-47.

Toledo, A.; Tabile, R.A.; Silva, R.P.; furlani, C.E.A.; Magalhães, S.C.; Costa, B. 2008. Caracterização das perdas e distribuição de cobertura vegetal em colheita mecanizada de soja. Engenharia Agrícola 28: 710-719.

Vieira, S.R.; Millete, J.; Topp, G.C.; Reynolds, W.D. 2002. Handbook for geoestatical analysis of variability in soil and climate data. In: Alvarez, V.V.H.; Schaefer, C.E.G.R.; Barros, N.F.; Mello, J.W.V.; Costa, L.M. (Ed.) Tópicos em ciência do solo. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo 2: 1-45.


* Autor para correspondencia.

E-mail: arielcompagnon@gmail.com (A. Compagnon).


Recibido 18 enero 2012.

Aceptado 08 agosto 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.17268/sci.agropecu.2012.03.03

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Indizada o resumida en:

           

  

      

            

    

     

   

                             

 

Licencia de Creative Commons Scientia Agropecuaria revista de la Universidad Nacional de Trujillo publica sus contenidos bajo licencia Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 3.0.

ISSN: 2306-6741 (electrónico); 2077-9917 (impreso)
DOIhttp://dx.doi.org/10.17268/sci.agropecu

Dirección: Av Juan Pablo II s/n. Ciudad Universitaria. Facultad de Ciencias Agropecuarias. Universidad Nacional de Trujillo. Trujillo, Perú.
Contactosci.agropecu@unitru.edu.pe