Balanço energético e diagnóstico de qualidade do algodoeiro cultivado com sementes nativas em Lima, Peru

Bruno Christo, Dionicio Olivas, Wellington Erlacher, Vanessa Barros, Ivan Uzátegui

Resumen


Estudos que apontem o fluxo energético dos agroecossistemas são de grande importância para a produção agrícola mundial, a fim de alcançar uma agricultura mais sustentável. O objetivo deste trabalho foi caracterizar a eficiência energética e realizar o diagnóstico de qualidade em um sistema de cultivo do algodoeiro em Lima, Peru. Foram adotadas metodologias participativas para promover maior interação entre o agricultor e os pesquisadores, a fim de obter o maior número possível de informações a respeito do agroecossistema. O balanço energético foi realizado pela relação entre a produção alcançada (saída) e os gastos energéticos (entrada). Já o diagnóstico de qualidade foi construído através das notas observadas pelo agricultor. Conclui-se que o sistema de cultivo do algodoeiro apresentou balanço energético positivo não satisfatório e baixos indicadores de qualidade para as características aspecto nutricional, competição com plantas espontâneas e arborização.

Palabras clave


Gossypium barbadense; desenvolvimento sustentável; aspecto nutricional.

Texto completo:

PDF

Referencias


Albuquerque, F.; Beltrão, N.; Oliveira, J.; Vale, D.; Silva, J.; Cartaxo, W. 2007. Balanço energético da cultura do algodão na pequena propriedade rural no Cerrado do Mato Grosso do Sul. In: Congresso Brasileiro do Algodão, 6, 2007. Uberlândia. Anais. Uberlândia. p. 1-5.

Altieri, M.; Nicholls, C. 2004. Una base agroecológica para el diseño de sistemas diversificados de cultivo en el Trópico. Manejo Integrado de Plagas y Agroecología 73: 8-20.

Barreto, J.; Torres, A.; Lorenzoni, F.; Rabelo, V.; Silva, C.; Castro, F. 2015. Demanda energética de diferentes manejos de solo no cultivo de milho. Biosci. J., Uberlândia 31(3): 808-817.

Christo, B.; Oliveira, F.; Silva, D.; Erlacher, W.; Quaresma, M. 2014. Diagnóstico de qualidade e balanço energético na produção de pupunheira em propriedades familiares na região do Caparaó- ES. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável 9(1): 133 -140.

Cortijo, D.; Cancio, R. 2012. Innovación tecnológica para recuperar el algodón nativo de color. Revista Ingeniería Industrial 30: 225-245.

De Melo, D.; Odilon, J.; Godoy, E.; Gabriel, A.; Pereira, L.; Pinheiro, R. 2007. Balanço energético do sistema de produção de soja e milho em uma propriedade agrícola do Oeste do Paraná. Acta Sci. Agron. 29(2): 173-178.

Do Nascimento, M.; Rodrigues, J.; Valenzuela, E.; Roberto, C.; Dalla, A. 2016. Balanço energético e emissões de gases de efeito estufa do processo de produção de etanol: um estudo de caso. Enciclopédia Biosfera 13(24): 1634-1642

Fernandez, A.; Rodriguez, E.; Westengen, O. 2003. Biología y Etnobotánica del algodón nativo peruano (Gossypium barbadense L., Malvaceae). Arnaldoa 10(2): 93-108.

Ferraro-Júnior, L. 1999. Proposição de método de avaliação de sistemas de produção e de sustentabilidade. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia) – Universidade de São Paulo. São Paulo, Brasil. 131 pp.

Ferreira, L.; Almeida, D.; Ribeiro, T.; Montenegro, I.; Porto, V. 2013. Capacidade de absorção de fosforo e de potássio por espécies espontâneas em unidades de produção de base ecológica no Brejo Paraibano. Scientia plena 9(5): 1-8.

Gil, A.; López, S. 2017. Principales plagas y controladores biológicos de Gossypium hirsutum L. “algodón nativo” de fibra verde en relación a su ciclo fenológico. Arnaldoa 24(1): 359-368.

Instituto Geográfico Nacional (IGN). 1989. Atlas del Perú. 165 pp.

Leandro, E.; Souto, P.; Carlos, H. 2012. Balanço energético do primeiro ano de cultivo de pinhão-manso em sistema de condução de sequeiro. Enciclopédia Biosfera 8(14): 156-165.

Liebman, M. 2002. Sistemas de Policultivos. In: Altieri, M. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. Editorial Agropecuária, Guaíba, Brasil. p. 347-368.

Lima, J.; Ferreira, R.; Christofidis, D. 2005. O uso da irrigação no Brasil. 13 pp.

Lockeretz, W. 1980. Energy inputs for nitrogen, phosphorus, and potash fertilizers. In: Pimentel D. (Ed.). Handbook of energy utilization in agriculture. CRC Press, Florida, p. 23-26.

Lorenzoni, F.; Antônio, J.; Comanducci, R.; Vieira, A.; Bedin, D. 2015. Analise energética da produção de milho para silagem cultivado em diferentes espaçamentos. Energia na Agricultura. Botucatu 30(4): 418-428.

Pereira, D.; Neto, A.; Nobrega, L. 2013. Adubação orgânica e algumas aplicações agrícolas. Revista Varia Scientia Agrárias 3(2): 159-174.

Pimentel, D.; Burgess, M. 1980. Energy inputs in corn production. In: Pimentel, D. (Ed.). Handbook of energy utilization in agriculture. CRC Press, Florida, p. 67-84.

Pisani, E.; Masiero, M. Y.; Scrocco, S. 2015. Reintroducción de algodón nativo (Gossypium barbadense) en la costa norte del Perú: Análisis de factibilidad económica para pequeños productores. Revista de la Facultad de Ciencias Agrarias, Universidad Nacional de Cuyo 47(1): 209-232.

Pisani, E.; Scrocco, S. 2016. Building new income opportunities for small-farmers in Peru: the case of native and naturally colored cotton. Agriculture and Agricultural Science Procedia 8: 426-432.

Rojas, C.; Cuzquén, C.; Delgado, G. 2013. Propagación clonal in vitro y enraizamiento de estacas de algodón nativo (Gossypium barbadense L.). Acta Agronómica 62(4): 312-320.

Romero, M.; Bueno, O.; Esperancini M. 2006. Análise energética e econômica da cultura de algodão em sistemas agrícolas familiares. Energia agrícola 21(4): 81-97.

Silva, C. 2013. Análise energética do girassol irrigado com esgoto doméstico tratado para produção de biodiesel. Revista Caatinga 26(3): 62 – 72.

Souza, J.; Casali, V.; Santos, R.; Cecon, P. 2008. Balanço e análise da sustentabilidade energética na produção orgânica de hortaliças. Horticultura Brasileira 26(4): 433-440.

Tavares, M.; Albuquerque, F.; Silva, M.; Oliveira, R.; Costa, J. 2009. Análise energética de algodão orgânico consorciado com culturas alimentares. In Embrapa Algodão-Artigo em anais de congresso (ALICE). In: Congresso Brasileiro o Algodão, 7, 2009, Foz do Iguaçu. Sustentabilidade da cotonicultura brasileira e expansão dos mercados: anais. Campina Grande: Embrapa Algodão, 2009.

Vásquez, N.; Vásquez, A. 2012. Caracterización morfotaxonómica y fenología del algodón de color (Gossypium barbadense L.). Ciencia, Tecnología y Humanidades 3(2): 64-83.

Vreeland, J. 1986. Recuperando el algodón nativo: una tecnología nativa para la agricultura del desierto peruano. In Perú: El problema agrario en debate. SEPIA, p. 307-334.

Received July 13, 2017.

Accepted November 25, 2017.

Corresponding author: dibeli@hotmail.com (D. Luis).




DOI: http://dx.doi.org/10.17268/sci.agropecu.2017.04.14

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Indizada o resumida en:

  

 

   

 

Licencia de Creative Commons Scientia Agropecuaria revista de la Universidad Nacional de Trujillo publica sus contenidos bajo licencia Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 3.0.

ISSN: 2306-6741 (electrónico); 2077-9917 (impreso)
DOIhttp://dx.doi.org/10.17268/sci.agropecu

Dirección: Av Juan Pablo II s/n. Ciudad Universitaria. Facultad de Ciencias Agropecuarias. Universidad Nacional de Trujillo. Trujillo, Perú.
Contactosci.agropecu@unitru.edu.pe